sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

VIEIRAS COM MOLHO DE CÚRCUMA E VINAGRETE DE TOMATES




Já falei aqui que vieira é um dos frutos do mar que mais adoro, junto com camarões, polvos, lulas, lagostas e lagostins – lista enorme – adoro frutos do mar!! Também já falei que aqui no Brasil, infelizmente, não é nada fácil, e barato, comprar vieiras.
As vieiras são moluscos encontrados dentro de uma concha que possuem um músculo central adutor, cuja marca de fixação é visível no interior das suas conchas. Para abrir a vieira sem danificar a carne é preciso “ soltar” o músculo da concha para somente depois abrir a concha e retirar a vieira. Abra um pequeno espaço entre as conchas e introduza uma faca ou uma pequena espátula de ferro pressionando a parede da concha para baixo até que o músculo tenha descolado. Quando conseguir soltar o músculo a concha se abrirá com facilidade. Se você nunca abriu uma vieira fica atento nesse processo caso contrario pode perder algumas vieiras cortando-as ao meio ou danificando sua carne muito delicada.
Essas foram compradas frescas, por sorte, e vieram de Angra dos Reis da Fazenda das Vieiras. Eles entregam no Rio sob encomenda mas só em quantidade. Se você vai fazer em casa é preciso juntar alguns amigos, que também gostem de cozinhar, e dividir a encomenda mas é sempre uma opção. Eu comprei as minhas em uma feira local que eles, por acaso, estavam presentes. Não é um produto barato e não posso dizer que as vieiras estavam grandes mas valeu muito, muito a pena porque estavam, simplesmente, deliciosas. Optei por fazer receitas sem acompanhamentos para poder curtir mais o sabor da própria vieira sem que ficasse mascarado por outros ingredientes.  

Ingredientes
Para duas pessoas
10 vieiras frescas
1 colher de chá de alho em pó
1 colher de chá de pimenta do reino fresca
½ limão
Azeite
2 xícaras de tomates frescos em pequenos cubos sem sementes
½ xícara de folhas de salsa fresca picada
4 colheres de sopa de manteiga
1 colher de sopa de vinagre
1 colher de sopa de cúrcuma
150ml de creme de leite fresco


Faça o vinagrete. Lave bem os tomates, corte-os e retire as sementes. Corte em cubos bem pequenos. Coloque-os em um recipiente, junte o vinagre, a salsa picada e 3 colheres de sopa de azeite. Tempere com sal e pimenta do reino a gosto, misture bem e reserve. Limpe bem as vieiras e tempere-as com sal, pimenta do reino a gosto e o alho em pó. Aqueça uma frigideira com 1 colher de sopa de manteiga e um fio de azeite. Quando estiver quente coloque as vieiras para grelhar de um lado, deixe por 1 minuto e vire o outro lado, aguarde mais 1 minuto e desligue o fogo. Retire as vieiras e reserve. Na mesma frigideira coloque o creme de leite e a cúrcuma. Faça a deglaçagem da frigideira, misture bem, prove e acerte o sal e a pimenta do reino se for preciso. Reserve. Sirva as vieiras com  molho de cúrcuma e uma porção de vinagrete.




terça-feira, 6 de dezembro de 2016

CROCANTE DE FIGO, CHOCOLATE E IOGURTE







Sabe aqueles dias que você esta com vontade de comer um doce mas com preguiça de fazer receita elaborada? sabe aquele dia que você abre a geladeira e tem o restinho de uma caixa de figo deliciosa que você esta com medo que estrague? Então, foi um dia desses que acabei fazendo essa receitinha super fácil de figos caramelizados com chocolate. Adoro chocolate com frutas! Outro detalhe legal dessa receita é o uso da massa de pastel para fazer receitas diferentes do seu objetivo principal, o pastel. Nesse caso foi assada no forno para ficar menos gordurosa e serviu de base para essa linda tortinha. Adorei e não leve 15 min para preparar, quer coisa melhor?

Ingredientes
Para duas pessoas
2 círculos de massa de pastel fresca, tamanho médio
2 figos
100gr de chocolate meio amargo
½ xícara de mel
Azeite
1 potinho de iogurte grego natural
Açúcar de confeiteiro para polvilhar
1 colher de sopa de manteiga

Em um tabuleiro anti aderente coloque os círculos de massa untados com azeite. Leve ao forno pre aquecido a  200º.C por 15min ou até que estejam dourados. Retire do forno e reserve.  Derreta o chocolate em banho maria. reserve. Lave bem os figos e corte-os ao meio. Em uma frigideira coloque a manteiga e aqueça. Coloque os pedaços de figo e deixe dourar levemente as fatias. Reserve. Em um prato coloque um circulo de massa no fundo. Sobre a massa disponha 2 pedaços de figo e uma porção do iogurte. Cubra com fios de chocolate derretido. Sobre tudo polvilhe o açúcar de confeiteiro. Sirva.

Veja outras receitas doces e salgadas com figo:



sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

CAMARÕES GRELHADOS COM LEGUMES E MOLHO DOURADO





Receitinha super simples e leve de camarões com legumes que agrada até os mais chatos para comer. Para sair dos legumes tradicionais, usei o alho poro como protagonista, já postei outras receitas aqui no blog receitas onde o alho poró é uma das estrelas principais do prato. Essa hortaliça quando grelhada, seja no forno ou na frigideira, fica fantástica e cheia de sabor.

Ingredientes
Para duas pessoas
200gr de camarões graúdos frescos e limpos
1 Alho poro grande (ou 2 pequenos)
2 Batatas baroa médias
6 Azeitonas pretas
8 Tomatinhos confit
6 dentes de Alho
2 colheres de sopa de suco de limão
2 colheres de sopa rasas de molho shoyo
Sal e pimenta do reino a gosto
½ xícara de conhaque ou cachaça
1 colher de sopa de manteiga


Primeiro de tudo deixe os camarões marinarem. Coloque os camarões em uma vasilha e junte o limão, 2 colheres de sopa de azeite, dois dentes de alho espremido e pimenta do reino a gosto. Não salgue agora. Misture bem e deixe marinar nessa mistura por, pelo menos, 20 min. Enquanto os camarões ficam temperando, faça os legumes. Descasque as batatas, corte-as em pedaços médios e leve ao fogo para cozinhar em uma panela com água e sal. Descasque os dentes de alho e junte a panela com as batatas. Cozinhe até que as batatas estejam macias, cerca de 15 min. escorra e reserve.  Corte as folhas do alho poro retirando a parte verde e as raízes. Corte em dois pedaços de 15cm mais ou menos e depois corte-os ao meio, longitudinalmente. Lave bem para retirar a terra que pode ter se acumulado entre as camadas do alho poro. Reserve. Aqueça uma frigideira grande com 2 colheres de sopa de azeite e quando estiver quente junte os camarões sem o liquido da marinada. Deixe dourar de um lado rapidamente e vire para dourar o outro, cerca de 1 minuto cada lado. Junte o conhaque e flambe. Polvilhe sal, retire os camarões e reserve.  Na própria frigideira que foi feito os camarões, adicione um fio de azeite e junte os pedaços de alho poro. Deixe grelhar de um lado sem mexer e depois vire. Junte os dentes de alho que estevam junto da batata e deixe que dourem um pouco junto do alho poro. Se for necessário adicione  um pouco mais de azeite. Por ultimo adicione os tomates cereja e as azeitonas, mexa bem. Junte a manteiga, mexa, junte o shoyo, misture tudo e retorne os camarões por mais 1 minuto e desligue o fogo. Sirva os camarões sobre o alho poro junto com as batatas baroas, as azeitonas e os demais legumes.



segunda-feira, 28 de novembro de 2016

FRANGO ASSADO NO LEITE COM TOMATES E CEBOLAS






Esse frango ficou super gostoso e foi meio que um improviso de coisas que tinha em casa. O engraçado é que existem mil formas de se fazer frango e toda as vezes que vou fazer fico na duvida achando que estou repetindo alguma receita que já fiz. Sempre acho que preciso mudar e improvisar com algo diferente. Eu usei peito de frango, na verdade, filetes de peito de frango mas você pode fazer com qualquer pedaço que vai dar certo.

Ingredientes
Para duas pessoas
400gr de frango em pedaços
Cebolas bolinha pequenas
3 tomates do tipo italiano
1 xícara de azeitonas pretas
3 dentes de alho
1 tablete de caldo de frango
3 xícaras de leite
Sal e pimenta do reino a gosto
1 ramo de alecrim fresco

Limpe bem os pedaços de frango, retire a pele. Disponha os pedaços de frango em um refratário. Descasque as cebolas e disponha entre as fatias de frango. Lave, corte em pedaços grandes e retire as sementes dos tomates e disponha entre o frango e as cebolas. Faça o mesmo com o alho. Aqueça um pouco o leite e dissolva o caldo de frango. Tempere os ingredientes com sal e pimenta do reino a gosto – lembre-se que o caldo de frango já contem sal. Disponha o leite com o caldo de frango dentro da travessa até que quase cubra por completo os ingredientes, se for preciso coloque um pouco mais de leite. Disponha o ramo de alecrim sobre tudo. Cubra a travessa com papel de alumínio e leve ao forno a 180º. C. por 15 minutos. Retire o papel de alumínio, disponha as azeitonas  e deixe por mais 10 minutos. Sirva acompanhado com arroz ou outro acompanhamento de sua preferencia.



terça-feira, 22 de novembro de 2016

FOLHADO DE QUEIJO COM ESPINAFRE






Essa é uma receita bem simples feita com a massa filo que é super versátil. Essa receita pode ser feita para um lanche ou para uma refeição de almoço ou jantar. A massa filo, ou phyllo como também é conhecida, é uma variação da massa folhada porém suas folhas são bem mais finas, quase como se fossem folhas de papel muito usada nos países do mediterrâneo e do Oriente Médio. Nesses países é utilizada para pratos doces e salgados, podendo ser recheada ou utilizada como base para tortas. Aqui no Brasil eu compro a massa pronta da marca Arosa. Nem sempre consigo achar em supermercados, normalmente, compro diretamente no distribuidor.

Ingredientes
para dois rolos
1 pacote de massa filo
1 maço de espinafre fresco
1/2 cebola média
1 dente de alho
sal e pimenta do reino a gosto
1 pote de creme de ricota
3 colheres de sopa de manteiga
Noz moscada

Lave bem as folhas de espinafre, escorra e reserve. Retire a casca da cebola e pique em pequenos cubos, faça o mesmo com o alho. Aqueça uma frigideira anti aderente com um 2 colheres de sopa de azeite e junte a cebola. Deixe refogar até que esteja transparente e junte o alho picado. Misture bem e deixe refogar por mais um minuto. Junte as folhas de espinafre e refogue até que esteja cozida. transfira para uma tabua e, com o auxilio de uma faca, corte bem fina. Escorra o liquido que se formou e reserve. Coloque o creme de ricota em uma vasilha e junte o espinafre cortado. Tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Tempere com noz moscada e misture bem. reserve. Derreta a manteiga em uma vasilha e reserve. Em uma superfície lisa abra uma folha de massa filo e pincele com manteiga. Cubra com outra folha de massa filo e pincele novamente com manteiga. Repita essa operação mais três vezes. Pegue o creme de queijo e espinafre e disponha ao longo da massa em uma das extremidades - a extremidade mais longa. Com o auxilio das mãos, enrole a massa como se fosse um rocambole e, depois, enrole como se fosse um caracol - igual a foto. Repita a operação com o restante da massa se for fazer dois rolos. Pincele tudo com a manteiga derretida. Coloque em uma forma e leve ao forno médio até que esteja dourada. Cerca de 20 minutos. Sirva quente.



sexta-feira, 18 de novembro de 2016

SALADA DE FEIJÕES BRANCOS COM ASPARGOS E CENOURA





Outro dia fui no restaurante delírio tropical aqui no Rio e comi uma salada de feijão branco que estava deliciosa. A principio, quando escolhi a salada, não levei muita fé que ela seria uma boa escolha mas, mesmo assim, acabei fazendo a escolha e surpreendi. O feijão branco é o novo queridinho do mundo fitness pois, dizem, ajudar a emagrecer e traz diversos benefícios para o organismo. É fonte de fibras, proteínas, flavonoides (substâncias antioxidantes), vitaminas do complexo B, ferro, zinco, magnésio e cálcio.  Além dos benefícios acima, o feijão ainda Reduz a absorção de carboidratos e dá saciedade, o que favorece o emagrecimento. Ajudar na prevenção de diabetes, auxiliar no funcionamento do intestino, Evitar o envelhecimento celular e contribuir para boa circulação sanguínea também são outros benefícios desse grão branco. Vamos colocar feijão branco no cardápio!!
Como tinha ½ pacote de feijão branco em casa, uso para colocar no risoto e, as vezes, fazer um cassoulet, resolvi fazer uma salada parecida em casa – confesso que já não lembrava bem o que tinha na salada do restaurante mas isso não importa. Essa salada pode ser servida quente ou fria, eu prefiro quente.

Ingredientes
Para duas pessoas
250gr de feijões brancos
1 cenoura grande
½ vidro de aspargos brancos
1 tomate grande bem maduro mas firme
½ maço de manjericão fresco
2 folhas de louro
Sal e pimenta do reino a gosto
Azeite de boa qualidade


Pré selecione os grãos tirando alguns que não estiverem bons, eventualmente alguma pedra  vem junto no pacote e só então lave bem em água corrente e escorra. Coloque os feijões de molho em uma vasilha com água por, pelo menos, 3 horas. Pode deixar de véspera. Escorra a água. Coloque os feijões em uma panela e cubra com água quente. Tempere com as folhas de louro e o sal. Leve ao fogo médio por 40 minutos, ou até que os grãos estejam macios mas ainda firmes. Escorra e reserve. Descasque a cenoura e corte em cubos pequenos. Coloque em uma panela com água fervente e deixe cozinhar por 10 minutos, ou até que esteja macio mas ainda firme. Escorra e reserve. Lave bem o tomate, retire as sementes e corte em cubos do mesmo tamanho que foram cortadas as cenouras. Reserve. Em uma vasilha coloque os feijões, as cenouras e o tomate. Misture bem e regue com um pouco de azeite, cerca de duas colheres de sopa. Prove e acerte o sal. Tempere com pimenta do reino a gosto e misture novamente. Escorra os aspargos e corte-os em pedaços um pouco maiores que os grãos de feijão. Misture ao restante dos ingredientes. Lave bem o manjericão e retire as folhas. Junte aos demais ingredientes, cerca de ½ xícara de folhas. Misture bem e prove novamente, se necessário acerte o sal e a pimenta do reino. Sirva quente ou fria.



terça-feira, 15 de novembro de 2016

NHOQUE DE BATATA DOCE COM CHIA E MOLHO DE GORGONZOLA - SEM GLÚTEN






A batata-doce é a queridinha da vez nas redes sociais e academias. Seu grande sucesso vem da capacidade de fornecer energia com carboidratos saudáveis que não elevam em excesso o nível de açúcar no sangue. Ela tem a capacidade de liberar a glicose de forma mais lenta e equilibrada, sem picos de açucares no sangue sendo excelente para quem malha frequentemente. Além de ajudar na malhação a batata também ajuda quem está fazendo regime alimentar, pequenas quantidades desse carboidrato são suficientes para diminuir o apetite, tornando-se um grande aliado das dietas. São motivos mais do que suficientes para todo esse alvoroço nas redes. A Chia, que também está presente na nossa receita, é uma semente mexicana que faz parte da família da Sálvia e do linho. Essa semente possui muitos benefícios, tais como regular as taxas de colesterol  até fortalecer o sistema imunológico mas o mais comentado atualmente é mesmo a sua capacidade de favorecer o emagrecimento. Um dos motivos que fazem da chia uma grande aliada na perda de peso está na sensação de saciedade que a semente proporciona. Suas fibras têm a capacidade de absorver muita água, transformando-se em uma espécie de gel. Quando é ingerida, a reação é semelhante, favorecendo a saciedade. Essa sementinha pode ser usada em receitas doces ou salgadas, também é facilmente consumida saladas ou na mistura de sucos e vitaminas.

Ingredientes
Para duas pessoas
1 batata doce grande ou duas médias
1 ovo
1 xícara de farinha de arroz (ou o quanto baste, a quantidade pode variar dependendo do tamanho de sua batata e da umidade)
Farinha de arroz para polvilhar
Sal e pimenta do reino a gosto
¼ xícara de sementes de chia
1 xícara de gorgonzola em pedaços
1 xícara de caldo de legumes caseiro
2 xícaras de creme de leite fresco
½ xícara de vinho branco seco
Folhas de manjericão fresco

Descasque a batata doce, corte-a em pedaços médios e coloque em uma panela com água quente para cozinhar. Quando estiver macia, escorra e passe pelo espremedor até obter um purê. Reserve. Quando estiver fria junte o ovo, as sementes de chia (polvilhe as sementes sobre toda a massa de forma que não fique concentrada em um único lugar)  e meia xícara de farinha de arroz. Misture bem e coloque a massa sobre uma superfície lisa polvilhada com a farinha de arroz. Com o auxilio das mãos verifique se a massa já esta no ponto de ser modelada, se necessário adicione mais farinha de arroz. A massa não deve ser muito firme nem muito mole. Massa muito firme deixa o nhoque pesado para a digestão, massa muito mole, com pouca farinha, se desmancha quando cozida. Corte pedaços de massa e modele, enrole, tiras de massa. Com o auxilio de uma faca faça o corte dos nhoques. Reserve e faça o molho. Em uma panela coloque o vinho e o queijo gorgonzola, mexa até dissolver todo o queijo, junte o restante dos ingredientes. Tempere com sal e pimenta do reino a gosto e deixe em fogo médio até reduzir 1/3 do volume. Aqueça uma panela grande com água e sal e quando estiver quente, mas sem ferver, junte porções do nhoque. Espere que subam até a superfície da água e, com o auxilio de uma escumadeira, retire os nhoques e coloque-os sobre uma travessa. Repita a operação até que todos os nhoques estejam cozidos. Distribua o molho sobre os nhoques e sirva guarnecido com folhas de manjericão fresca.





sexta-feira, 11 de novembro de 2016

COGUMELO PARIS RECHEADO COM BRIE E PARMA




 Esses cogumelos estavam enormes, lindos e perfeitos para serem recheados. A escolha de brie com parma é bem diferente das outras opções que já passei aqui no blog para recheio desse cogumelo que eu adoro. Não tenho preferidas, todas são perfeitas. As porções dos ingredientes abaixo estão para serem servidas como entrada sendo um cogumelo por pessoa visto o tamanho individual de cada um.
Para os vegetarianos é só retirar o presunto de parma da receita.

Ingredientes
Para duas pessoas
2 cogumelos paris grandes e frescos
50gr de queijo brie de boa qualidade
2 fatias de presunto de parma
½ cebola pequena
1 dente de alho pequeno
Azeite
Sal e pimenta do reino a gosto

Limpe bem os cogumelos com um pano úmido e, com o auxilio de uma colher de chá, retire cuidadosamente o miolo de cada um fazendo uma cavidade como se fosse um copinho. Reserve.  Descasque e pique bem pequeno a cebola e o alho. Aqueça uma frigideira com 1 colher de sopa de azeite e coloque a cebola e o alho para refogar até que esteja transparente. Pegue o miolo do cogumelo que foi retirado, pique e junte ao refogado da frigideira. Se necessário coloque mais um fio de azeite. Tempere tudo com sal e pimenta do reino a gosto, misture bem e desligue o fogo. Em uma travessa refratária coloque um fio de azeite de forma que fique bem untada. Disponha os dois cogumelos com a cavidade aberta para cima. Regue o interior de cada um com u fio de azeite. Pegue uma porção do refogado da frigideira e coloque dentro de cada cavidade de forma que fique até a metade do cogumelo. Por cima coloque uma fatia de brie e um pedaço generoso de presunto de parma. Pegue outra porção do refogado da frigideira coloque por cima apertando bem. Por cima de tudo coloque mais uma fatia de brie. Leve ao forno pre aquecido a 200º.C por 15 minutos até que o brie esteja derretido.




terça-feira, 8 de novembro de 2016

PAPOS DE ANJO




Esse era o doce preferido do meu bisavô e um dos doces preferidos do meu pai. Cresci comendo muito papo de anjo feito pela minha mãe e esse deve ser um dos motivos dos doces portugueses, feitos a base de ovos, serem os meus preferidos dentre tantos outros doces existentes e que já experimentei. Logico que nessa comparação o chocolate, em barra mesmo, e sendo amargo, não entra no páreo J  esse é, de longe, a minha preferencia mas, como disse, esse está em outro nível. Rsrsrsrsrs
Voltando a historia do Papo de Anjo, esse é o doce perfeito para aproveitar gemas, seja a quantidade que for, que estiverem na sua geladeira – e esse foi o meu caso. Minha filha havia pedido para fazer um Torta Suíça de Chocolate, que tem como base do bolo claras, praticamente não leva farinha de trigo. A receita original dessa torta tem recheio de chantili, que nós aqui em casa não somos muito fã então, minha versão, leva marshmellow de recheio – mais claras e mais sobras de gemas. Saldo final 14 gemas sobrando na geladeira. O que fazer? Papo de Anjo!
O Papo-de-Anjo é um doce típico português, assim como a maioria dos doces a base de ovos, principalmente os de gema. A notoriedade dos doces portugueses, da doceria conventual, é antiga: vem do século XV, quando Portugal iniciou uma produção de açúcar em larga escala em suas colônias atlânticas, incluindo o Brasil com o cultivo da cana-de-açúcar.
A princípio, a tarefa era uma responsabilidade das irmãs monjas. No início da Época Moderna, a população feminina dos conventos era, em sua maioria, composta de mulheres que não tinham escolhido o hábito por fé, e sim por imposição social – normalmente, familiar. A feitura de quitutes ajudava a suportar a rigidez do claustro.

Essa produção ganhou grande impulso nos séculos XVIII e XIX, quando Portugal passou a ser o principal produtor de ovos da Europa, e possivelmente do mundo. A maior parte dela tinha destino certo: a clara era um elemento purificador na fabricação do vinho branco – e servia para engomar as roupas da aristocracia e os hábitos de freiras e padres.

 Mas com tanta clara sendo exportada para países europeus produtores de vinho, como França, Espanha e Itália, qual seria o destino das gemas? As freiras, em seu ritual de separá-las, perceberam que o desperdício poderia se transformar num “pecado lucrativo”: a produção de iguarias finas que se tornaram a marca registrada da culinária lusitana. Nas fazendas mantidas pela Igreja, nos mosteiros e, principalmente, nas centenas de conventos que se espalhavam pelo interior do país, a gema servia de alimentação para as criações de porcos e outros animais, que, por sua vez, alimentavam monges, freiras e aldeões das redondezas. Mas a gema disponível era tanta que ainda assim sobrava.

A quantidade de matéria-prima, aliada à fartura do açúcar que vinha das colônias, se transformou em inspiração para o surgimento de experimentos doceiros à base de gema de ovos realizados pelas cozinheiras dos conventos. Não por acaso, muitos nomes de doces portugueses são inspirados na fé católica: argolas da abadessa, barrigas de freira, beijo de frade, fatias celestes, farrapos do céu, manjar celeste, orelhas de abade, palmas de abade, papos de anjo, queijos do paraíso, toucinho do céu e o pão de ló, etc.. (Fonte: O Céu na Boca, Fabiano Dalla Bona). A receita é da família, feito por minha mãe a anos.

Ingredientes
14 gemas de ovos frescos
750gr de açúcar
1 colher de chá cheia de essência de baunilha
3 xícaras de água
Manteiga para untar as formas


Comece fazendo a calda. Em uma panela coloque o açúcar, a baunilha e a água e leve a fogo médio até que a calda esteja em ponto de fio ralo. Reserve. Coloque as gemas na batedeira e bata até que elas dobrem de tamanho e fiquem bem esbranquiçadas. Unte forminhas de empadas com a manteiga e disponha porções de gema até a metade da forma. Coloque as forminhas em uma tabuleiro e leve ao forno pré-aquecido a 180º. C por 20 minutos ou até que os papo de anjos estejam crescidos e cozidos. Ao espetar um palito este deve sair limpo. Deixe esfriar um pouco, retire os papo de anjos da forma e coloque-os na calda. Guarde na geladeira.





quinta-feira, 3 de novembro de 2016

LAGOSTINS AO CURRY



 Esses lagostins estavam super frescos e foram comprados no mercado de peixe São Pedro em Niterói. Fui ao mercado fazer minhas compras de frutos do mar e encontrei as barracas cheias de lagostins bem fresquinhos. Não resisti e comprei. A parte chata desse crustáceo que muita gente prefere ao camarão, e ate mesmo a própria lagosta, é limpar a casca. Quando estão realmente frescos esse processo fica um pouco mais fácil e o truque é segurar com um pano ou pedaço e de papel e torcer o corpo do lagostin gentilmente até a casca de soltar da carne.

Ingredientes
Para duas pessoas
1kg de lagostins frescos
3 dentes de alho
½ limão sal e pimenta do reino a gosto
1 vidro de leite de coco
1 colher de chá de curry
1 xícara de caldo de peixe, camarão ou legumes concentrada
1 colher de chá de aji amarillo (ou a pimenta de sua preferencia)
1 cebola média
1 ramo de salsinha fresca
2 tomates italianos  pequenos
2 xícaras de couscous marroquino
2 xícaras de caldo de legumes

Limpe os lagostins e retire as vísceras. Lave e coloque-os em uma travessa. Regue com um fio de azeite, gotas de limão, pimenta do reino a gosto e esprema os dentes de alho. Misture bem e deixe marinar por, pelo menos, 20 minutos. Descasque e corte a cebola em cubos bem finos, ou rale em ralo grosso. Lave bem os tomates e corte-os em cubos bem pequenos. Aqueça uma frigideira grande (eu uso de porcelana) com 2 colheres de azeite. Tempere os lagostins com sal, misture bem. Escorra os lagostins mas não jogue fora a marinada. Coloque os lagostins na frigideira e deixe por 1 min de cada lado. Retire os lagostins da frigideira e reserve-os.  Junte a cebola e refogue até que esteja transparente, junte os tomates e a marinada que estava reservada. Misture bem e deixe por 1 minuto. Junte o leite de coco, o caldo de peixe, o aji amarillo e o curry. Misture tudo e abaixe o fogo. Deixe cozinhar por 10 minutos em fogo baixo. Prove e acerte o sal e a pimenta se necessário. Faça o couscous. Aqueça o caldo de legumes. Coloque o couscous em uma panela, regue com um fio de azeite e junte o caldo de legumes. Misture bem, tampe e deixe descansar. Junte os lagostins na frigideira, misture bem, deixe por mais 2 minutos e desligue o fogo. Sirva os lagostins com o couscous.





terça-feira, 1 de novembro de 2016

ALHO PORÓ GRATINADO COM IOGURTE E FAROFA DE PANKO





Posso colocar aqui que essa é uma das comidinhas que eu mais gosto. Adoro alho poro e adoro ele gratinado. Normalmente encontramos o alho poro sendo utilizado muito mais como tempero, assim como a cebola e o alho, do que como um legume a ser saboreado individualmente. Pois posso dizer aqui que, quem faz isso esta perdendo o melhor que esse legume possui.  Alho Poro grelhado, gratinado e em muitas outras preparações onde aparece com destaque é, simplesmente, uma delicia. Você acha várias dessas receitas aqui no blog, experimente que não vai se arrepender.

Ingredientes
Para duas pessoas
2 alho poros grandes
1 xícara de caldo de legumes ou frango
½ xícara de vinho branco seco
2 xícaras de panko
1 1/2 colher de sopa de manteiga
Sal e pimenta do reino a gosto
1 potinho de iogurte natural grego

Corte o alho poro retirando as folhas verdes. Corte a ponta da raiz e parta o caule ao meio. Lave bem sob água corrente para retirar toda a terra. Corte o alho poro em tiras longitudinais e disponha em um refratário. Adicione o caldo de legumes e o vinho. Tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Leve ao forno pre aquecido a 200º. C até que esteja levemente gratinado por cima e o liquido tenha reduzido. Em paralelo faça o panko. Em uma frigideira coloque a manteiga para derreter e junte o panko. Tempere com pimenta do reino e continue mexendo ate que esteja dourada. Reserve. Retire o alho poro do forno e disponha em duas porções. Por cima coloque uma colherada de iogurte e polvilhe com a farofa de panko.







sexta-feira, 28 de outubro de 2016

BARRIGA DE PORCO DEFUMADA COM ARROZ VERMELHO E PURÊ DE COUVE-FLOR






Porco virou moda, em São Paulo existem restaurantes, bons restaurantes, especializados nessa carne que, na verdade, não é novidade para ninguém. Eu já declarei aqui no blog que é uma das minhas carnes preferidas e que, aqui no Rio de Janeiro, algum tempo atrás, não era tão fácil achar bons cortes dessa proteína. Cortes como picanha, mignon,  etc... eram bem mais difíceis de se achar. A moda traz esse beneficio, novos cortes se popularizam e novos lugares começam a comercializar o produto. Como ponto negativo vem o preço, que sobe. L

Um dos queridinhos do momento é a barriga mas qual a diferença da barriga para o bacon, o toucinho ou a porchetta? Quando você olha a foto abaixo parece um corte de bacon. Basicamente o toucinho é um pedaço menor e mais gorduroso do que a pancetta, e o bacon pode vir de varias partes do porco, algumas vezes da barriga. Os especialistas dizem que o melhor bacon vem da barriga. A porchetta, como chamam os italianos, é um corte maior da porção lateral do porco, que inclui o lombo, a barriga e costelas.

Ingredientes
Para duas pessoas
2 pedaços de barriga de porco defumada (em torno de 150gr cada)
1 couve-flor pequena
4 colheres de sopa de requeijão
1 ½ xícara de arroz vermelho
2 colheres de sopa de manteiga
Azeite
Sal e pimenta do reino a gosto
¼ de cebola
½ xícara de vinho branco
1 ramo de tomilho fresco
2 folha de louro
1 dente de alho
3 xícaras de caldo de legumes


Primeiro faça o arroz. Em uma panela coloque um fio de azeite e o dente de alho picado. Leve a fogo baixo e deixe o alho refogar por um minuto. Junte o arroz e misture bem até que todos os grãos estejam untados com o azeite. Junte o caldo de legumes e deixe cozinhar em fogo baixo até que o arroz esteja macio. Se for preciso adicione mais caldo ou água. Aqueça uma frigideira com a manteiga e um fio de azeite e doure a barriga de porco dos dois lados. Transfira a barriga para um refratário, coloque fatias de cebola em cima de cada peça, as folhas de louro, as folhas de tomilho e tempere com pimenta do reino.  Junte o vinho e leve ao forno pré aquecido a 200º.C por 10 minutos. Lave bem a couve-flor, retire as folhas e corte os ramos em pedaços. Coloque em uma panela com água e sal e deixe cozinhar até que esteja bem macio. Escorra a couve-flor e passe pelo processador até obter um creme liso. Transfira para uma vasilha e tempere com pimenta do reino branca e as colheres de requeijão. Misture bem até ficar um creme. Retire a barriga de porco do forno e sirva com o arroz, o creme de couve-flor e o molho que se formou no refratário.









terça-feira, 25 de outubro de 2016

FETTUCCINE COM TOMATINHOS




Para essa receita eu usei uns tomatinhos italianos e orgânicos que meu pai plantou na casa dele. Não sei o nome desses tomates mas eles são um pouquinho maiores que os tomates cereja. A gente lá em casa chama de garrafinha porque são do formato dos tomates italianos, mais compridos e, ao mesmo tempo, pequenos como os tomatinhos cereja. Possuem poucas sementes e, comparativamente aos tomates cereja, são bem menos aguados. São deliciosos, bem doces e saborosos. Você pode substitui-los por tomates cereja bem maduros.


Ingredientes
Para duas pessoas
200gr de fettuccine
100gr de tomatinhos italianos maduros e firmes
3 dentes de alho
1 cebola média
1 maço de ceboulette
Azeite
Sal e pimenta do reino a gosto
Manteiga
Queijo parmesão de boa qualidade

Descasque a cebola e o alho. Pique a cebola em cubos bem pequenos, ou rale no ralo grosso. Reserve. Lave bem os tomatinhos e corte-os em fatias. Reserve. Aqueça uma panela com água e sal e quando estiver fervendo junte o macarrão. Mexa bem soltando todos os fios e deixe cozinhar pelo tempo indicado na embalagem. Se a massa for fresca deixe por 3 a 4 minutos. Em paralelo faça o molho. Aqueça uma frigideira com 2 colheres de sopa de manteiga e um fio de azeite e coloque a cebola para refogar. Quando estiver transparente, junte o alho picado, misture bem e deixe refogar por mais alguns minutos. Junte os tomates cortados, misture bem e tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Se preciso junte mais uma colher de manteiga. Prove e acerte o sal se for preciso. Escorra o macarrão e junte ao molho da frigideira. Misture e sirva com uma porção generosa de queijo parmesão. Polvilhe a ceboulette sobre o prato.







quinta-feira, 20 de outubro de 2016

PANQUECAS DE ESPINAFRE COM GRATINADO DE QUEIJO




A massa de panqueca é uma das mais fáceis e versáteis que eu conheço. Você pode fazer pratos salgados e doces, pode misturar ingredientes na massa para dar sabor: chocolate, laranja, canela, etc... são opções para a massa doce e espinafre, beterraba, açafrão, etc... são algumas das opções para a massa salgada. Essas variações elevam uma receita simples a outro patamar, trazendo graça e sabor ao mesmo tempo. Vale experimentar.

Ingredientes
Para duas pessoas
1 xícara de leite
1 ovo grande
1 xícara de farinha de trigo
2 xícaras de folhas de espinafre lavadas e cruas
2 xícaras de ricota fresca
½ xícara de leite
½ xícara de azeitonas verde
½ cebola
½ tablete de caldo de frango
Noz moscada
150 ml de creme de leite fresco
1 xícara de vinho branco
2 xícaras de queijo parmesão ralado
1 colher de sopa de manteiga
Sal e pimenta do reino a gosto


Em um liquidificador coloque o leite e as folhas de espinafre. Processe até obter um liquido verde bem vivido e todas as folhas tenham processado. Junte o ovo e a farinha de trigo e processe novamente ate obter um creme liso. Reserve. Em um processador coloque a ricota, o sal, a pimenta do reino, a noz moscada a gosto e o leite.  Processe até obter um creme liso. Coloque o azeite e as azeitonas picadas. Em uma frigideira grande anti aderente passe um pouco de manteiga e leve ao fogo até que esteja bem aquecida. Junte uma porção da massa de espinafre e gire a frigideira em movimentos circulares até que toda a massa tenha se espalhado no fundo da frigideira de forma igual. Deixe cozinhar até que toda a parte úmida tenha desaparecido e a massa comece a soltar das laterais. Com o auxilio de uma espatula vire a massa de lado para que possa cozinhar por igual. Retire a massa da frigideira e coloque sobre uma superfície lisa. Repita a operação até obter dois discos de massa de espinafre. Coloque o disco de massa sobre uma superfície lisa e disponha uma porção de ricota temperada em uma das extremidades e enrole a massa como se fosse um rocambole, um a panqueca.  Repita a operação com o outro disco de massa. Prepare o molho. Em uma panela pequena coloque o vinho, o caldo de frango e a cebola ralada em ralo grosso para cozinhar. Deixe em fogo médio por 2 minutos mexendo sempre até que o caldo tenha dissolvido e a cebola esteja transparente. Junte o queijo parmesão ralado e o creme de leite. Tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Em uma travessa refrataria coloque um pouco de molho no fundo, corte as panquecas ao meio e disponha no refratário. Junte o restante do molho e polvilhe queijo parmesão ralado sobre as panquecas. Leve ao forno para gratinar. Sirva quente.